Dia da Caridade.

Dia da Caridade é comemorado anualmente em 19 de julho. Esta data tem o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a prática e difusão da solidariedade, como um meio para desenvolver um bom entendimento entre todos os seres humanos.

No Brasil, oficializado pela Lei nº 5.063, de 4 de julho de 1966. A data tem o intuito de celebrar e enaltecer a solidariedade e o sentimento de altruísmo entre os brasileiros em auxílio aos menos favorecidos. Mundialmente, a caridade é celebrada no dia 5 de setembro, em homenagem à data de desencarnação de Madre Teresa de Calcutá.

O que é a caridade? Essa é uma pergunta que muitos se fazem. E que muitas vezes pode ser confundido com outras atitudes. A caridade é muito mais do que dar um prato de comida a quem tem fome. É importante pensar que Caridade não é dar aos outros o que te sobra, mas sim, o que poderá te fazer falta.

Segundo definição dada pelos dicionários, a caridade é um sentimento ou uma ação altruísta de ajuda a alguém sem busca de qualquer recompensa. A prática da caridade é notável indicador de elevação moral e uma das práticas que mais caracterizam a essência boa do ser humano, sendo, em alguns casos, chamada de ajuda humanitária. Termos afins: Amor ao próximo; bondade; benevolência; indulgência; perdão; compaixão.

A caridade é uma das qualidades mais defendidas pela maioria das religiões, que insistem que a principal definição de caridade é “amar e ajudar ao próximo”.
A Caridade Segundo São Paulo:

“6 – Se eu falar as línguas dos homens e dos anjos, e não tiver caridade, sou como o metal que soa, ou como o sino que tine. E se eu tiver o dom de profecia, e conhecer todos os mistérios, e quanto se pode saber; e se tiver toda a fé, até a ponto de transportar montanhas, e não tiver caridade, não sou nada. E se eu distribuir todos os meus bens em o sustento dos pobres, e se entregar o meu corpo para ser queimado, se todavia não tiver caridade, nada disto me aproveita. A caridade é paciente, é benigna; a caridade não é invejosa, não obra temerária nem precipitadamente, não se ensoberbece, não é ambiciosa, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal, não folga com a injustiça, mas folga com a verdade. Tudo tolera, tudo crê, tudo espera, tudo sofre. A caridade nunca jamais há de acabar, ou deixem de ter lugar às profecias, ou cessem as línguas, ou seja abolida a ciência.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e a caridade, estas três virtudes; porém a maior delas é a caridade”. (Paulo, I Coríntios, XIII: 1-7 e 13).

Entre as atividades mais frequentes no Dia da Caridade, destaca-se a visita aos lugares onde a tristeza, pobreza e pessoas necessitando de carinho e atenção sejam presentes. Asilos, hospitais, casas de misericórdias, orfanatos e presídios são alguns exemplos.

E no O Evangelho Segundo o Espiritismo, Allan Kardec no capítulo XV explica sobre que fora da Caridade Não Há Salvação:

O que é preciso para ser salvo. Parábola do bom Samaritano
1. Ora, quando o filho do homem vier em sua majestade, acompanhado de todos os anjos, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações estando reunidas diante dele, separará uns dos outros, como um pastor separa as ovelhas dos bodes, e colocará as ovelhas à sua direita, e os bodes à sua esquerda.
Então o rei dirá àqueles que estarão à sua direita: Vinde, vós que fostes benditos por meu pai, possuí o reino que vos foi preparado desde o início do mundo; porque eu tive fome e me destes de comer; tive sede e me deste de beber; tive necessidade de alojamento e me alojastes; estive nu e me vestistes, estive doente e me visitastes; estiveste na prisão e viestes me ver”.

Segundo Fábio Souza Santos (conhecido como Levi), palestrante e comunicador na Rádio Boa Nova, no programa Juventude Maior, a Caridade é você se desprender de todo o egoísmo, orgulho e vaidade e se permitir a trocar experiências com àqueles que passam por alguma dificuldade e precisam de ajuda. Ele Acredita que ambos aprendem e ensinam neste processo.

Quando questionado sobre a difícil missão de exercitar a caridade ele afirma que culpamos a falta de tempo, condições financeiras e até mesmo a própria falta de oportunidade para exercitar a caridade. Quando a maior dificuldade é a conscientização que podemos contribuir de várias formas com as pessoas.

 

Momento mais difícil?

Levi conta que a caridade, é caridade no momento que se pratica de maneira espontânea:

 

“Na hora em que você tem que sair da zona de conforto e ir de encontro ao que realmente precisam. Fazer  a caridade sem pensar nas recompensas e benefícios que a ação pode gerar. Quando você faz as coisas, independente de ser caridade ou não, torna-se um ato de amor. Na verdade, nem notamos que isso é caridade porque fazemos naturalmente”, ensinou Levi.